Bem-estar

Comportamentos que causam a ansiedade e como tratá-los

Com as urgências, as tarefas e a correria do dia a dia está cada vez mais difícil controlar os impulsos da ansiedade e equilibrar a vida. Por isso, Patricia Cândido, filósofa, escrito e uma das fundadoras da instituição Luz da Serra, apontou 4 equívocos comuns dos ansiosos. Esses erros podem ser grandemente destrutivos, não só na vida de quem tem ansiedade, mas também de quem os cerca.

Na visão psicossomática e bioenergética ansiamos por algo por falta de equilíbrio emocional. Através da experiência terapêutica, a especialista detectou quatro comportamentos que manifestam a ansiedade e como reverter a situação.

Tentar controlar tudo

Tentar controlar tudo pode desencadear crises de ansiedade (Foto: Reprodução/iStock)

“As pessoas sentem necessidade de o tempo inteiro controlar a tudo e a todos. Isso é impossível, porque com exceção de Deus, ninguém é onisciente e onipresente para controlar todas as variáveis dos acontecimentos, e muito menos as vidas das pessoas que nos cercam”, explica Patricia. Não existe a possibilidade de controlar a situação, isso inclusive, pode resultar crises de ansiedade e só se ameniza quando “caímos na real” de que podemos controlar pouquíssimas coisas, por isso a dica da especialista é que precisamos viver o momento presente, porque quem é ansioso está sempre querendo viver no futuro e muito raramente vive o presente.

Ser defensivo

Deixar as armas é preciso para quem é defensivo (Foto: Reprodução/iStock)

Um comportamento assumido por uma pessoa que desde muito cedo teve que se defender dos golpes da vida. Com frequência se sentem injustiçadas e uma simples piada é levada como uma ofensa gravíssima e pessoal. Suas reações são rápidas e imediadas a qualquer situação que venha em sua direção. Ficam sempre em modo de defesa, considerando todos como inimigos até que isso se prove o contrário. São considerados observadores (inclusive por eles mesmos), mas não para aprender, e sim, para apontar e julgar. Neste caso, a especialista sugere uma reforma íntima, buscar o lado bom da vida, a leveza, deixar as “armas” de lado, buscar também, um caminho de amor, doçura, resiliência e espiritualidade.

Só enxerga o externo

Tirar as máscaras é extremamente necessário para deixar a ansiedade (Foto: Reprodução/iStock)

Outro comportamento que aflora a ansiedade é uma “cegueira” para o interno, aqueles que só percebem o que acontecem de fora. Normalmente são pessoas que se passam por bom moço/boa moça e são defensores e muitas vezes anunciadores da moral e bons costumes, mas, tem suas mentiras e suas convicções “cabeludas” guardadas em um cofre secreto dentro de si mesmas. “São pessoas voltadas para a futilidade, para assuntos que não tem muito proveito e vivem uma vida superficial, voltada para aparências. Como têm a visão de que sua vida é perfeita, acabam desenvolvendo certas neuroses, como estar sempre com tudo em dia, e isso gera ansiedade”, explica a filósofa.

O “estar tudo em dia”, normalmente, envolve o que mais se destaca, como maquiagem, cabelo, roupas, carro, tudo o que é externo precisa estar perfeito para que as pessoas a admirem por isso. A dica é voltar-se para o interior e descobrir o que realmente tem valor para você. As aparências não são tudo, cuidar do nosso interior é essencial para a nossa felicidade.

Ser perfeccionista/autoexigente demais

Não seja muito exigente consigo mesmo (Foto: Reprodução/iStock)

“Neste aspecto, podemos usar como exemplo uma pessoa que tem como meta de vida sempre tirar 10 nas provas e quando obtém uma nota 9,10, por exemplo, se sente arrasado, com um sentimento de frustração terrível, porque acredita ter falhado. Isso é um grau de auto exigência que devermos ter em alguns momentos da vida para performar melhor na área que atuamos, porém temos que saber ser mais leve” explica Patricia.

A especialista orienta perguntar-nos: Qual meu grau de cobrança? Será que me exijo demais? “Os grandes Adeptos e Mahatmas sempre dizem que Deus só quer uma coisa de nós aqui na Terra: que sejamos felizes e expressemos a nossa beleza. O restante é bobagem… Pense nisso!!!”, conclui a filósofa.

Comportamentos que podem causar ansiedade:

  • Má alimentação
Uma alimentação ruim resulta em crises de ansiedade (Foto: Reprodução/iStock)

Alimentação com base em glúten, lactose, açúcar branco, gordura animal e produtos industrializados em excesso. Esses alimentos contribuem para uma crise de ansiedade, por fatores orgânicos.

  • Multi Telas

    desconecte-se de tudo, relaxar as vezes é preciso (Foto: Reprodução/iStock)

Pessoas que não desligam os pensamentos, devido a trabalho excessivo, muito tempo frente ao computador, celular e outras coisas que ocupam a mente;

  • Falta de disciplina e organização
Uma casa desarrumada é sinal que suas emoções também estão (Foto: Reprodução/iStock)

A desorganização causa uma grande ansiedade pois nossas emoções entram em conflito, ninguém consegue ser feliz no meio da bagunça; “O ambiente externo reflete suas emoções. Se você observar a organização da sua casa, vai entender como estão suas emoções. Casa organizada = emoções equilibradas!; Casa bagunçada = emoções em conflito! Quando você arruma sua casa e local de trabalho, as emoções vão se organizando. Marque uma data e comece!”, alerta Patricia.

  • Vícios
Vícios são causas frequentes de crises de ansiedade (Foto: Reprodução/iStock)

Vícios são qualquer coisa que não conseguimos ficar sem. Vai de alimentos, bebidas,  até drogas ou um sentimento de raiva. Depois que o momento do vício passa, a ansiedade se intensifica;

  • Falta de conexão espiritual
Encontre propósito na vida, se conecte a algo maior (Foto: Reprodução/iStock)

Quem não tem um propósito de vida e não se conecta a algo maior, normalmente, não vê sentido na vida. Quem só vive para o mundo material e não visualiza uma eternidade, tende a sentir muita ansiedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *